Após triunfo no Future 4, Fúria luta no LFA de olho no UFC: “É o meu lugar”

0
192

Com quase 50 lutas no currículo, Gleristone Santos, o Toninho Fúria, é um dos atletas mais experientes do MMA nacional, ele que já foi considerado o melhor peso-pena em atividade no Brasil. Com passagens por eventos como Bellator, Titan FC, ACB e Road FC, Fúria terá mais uma chance de mostrar seu potencial em terras internacionais.

A ótima performance no Future FC 4, na última sexta-feira (19), em São Paulo – nocaute ainda no primeiro round sobre Marcos Vinícius Schmitz – rendeu ao atleta da Pitbull Brothers teve uma grande performance no Future FC 4, realizado na última sexta-feira (19) em São Paulo, , rendeu ao paraibano um convite para lutar na LFA (Legacy Fighting Alliance).

“Minha luta foi rápida, mas estava dentro do plano que eu mentalizei e treinei. Eu estava no pico de energia naquela noite, e nenhum peso leve no mundo seria capaz de me vencer naquele dia. Essa vitória foi muito importante, porque me coloca de volta ao jogo. Posso sonhar com um futuro melhor, pois, lutar nesse nível de UFC que eu venho competindo a anos, é bom para qualquer organização, para os fãs de luta e, consequentemente, pra mim. Não tem enrolação. Sei que o meu lugar é no UFC, e sei que quem ama MMA certamente gostaria de me ver no UFC”, disse Fúria.

Toninho possui um cartel com 35 vitórias e 10 derrotas. Ele não estava vivendo um bom momento no MMA. Antes de conquistar a vitória na última sexta, ele vinha de duas derrotas no ACB, hoje ACA (Absolute Championship Akhmat). Sua passagem pelo evento russo não foi boa, mas em suas quatro participações no evento, em apenas uma ele lutou no seu peso de origem – e venceu. Mas para ele isso já ficou no passado, e o que importa é o que vem pela frente.

“Você vê alguém fazendo carreira no UFC ou no Bellator que tenha passado pelo ACA, e que não seja russo? Então, o ACA já é passado pra mim. O que eu quero agora é fazer uma luta impactante no LFA, e depois batalhar uma vaga no UFC, aonde eu já deveria estar há muito tempo”, concluiu o casca-grossa.

DEIXE UMA RESPOSTA