Após vitórias no Imortal FC, Rogério Bontorin comemora contrato com Pancrase e Wellington Turman mira UFC

0
119

Dois paranaenses vêm mostrando evolução e personalidade cada vez que entram nos octógonos nacionais. Prontos para alçar voos maiores, Rogério Bontorin vive a expectativa da estreia internacional e Wellington Turman mira uma oportunidade no maior evento do mundo.

No último final de semana, Bontorin sagrou-se campeão de um GP de pesos-moscas no Imortal FC 5, em São José dos Pinhais (PR), finalizando dois adversários na mesma noite e garantindo um contrato com o evento japonês Pancrase.

Já Turman anotou mais uma vitória superando o conterrâneo Dyego Roberto, atleta experiente, oriundo da trocação, e que também conta com finalizações no currículo. Turman fez uma luta estratégica e recorreu às quedas para trabalhar por cima e garantir o resultado favorável por decisão unânime.

Nanderson Rosenal - técnico de muay thai, Bontorin, Gile Ribeiro - professor de jiu-jítsu e Turman após as respectivas vitórias no Imortal FC (Foto: Arquivo pessoal)
Da esquerda para direita: Nanderson Rosenal – técnico de muay thai, Bontorin, Gile Ribeiro – técnico de jiu-jítsu e Turman após as respectivas vitórias no Imortal FC (Foto: Arquivo pessoal)

 

Nascido na cidade de Colombo (PR), Bontorin viaja todos os dias a Curitiba para treinar na equipe Gile Ribeiro. Após a conquista do GP, o peso-mosca contou ao MAISMMA detalhes sobre a preparação específica para o GP e o sonho de lutar no Japão.

– Quando soube que seriam duas lutas na mesma noite, dobrei a rotina de treinos. Nunca havia lutado mais de uma vez no mesmo dia, e como moro em Colombo, precisava ir cedo para Curitiba. Eram três treinos por dia: MMA, jiu-jítsu e preparação física. Depois voltava para Colombo, fazia mais um treino de musculação, descansava em casa, e terminava com um treino de muay thai. O plano era colocar para baixo na hora certa e serviu para outros três participantes do GP, já que todos eram da trocação. Foi muito gratificante vencer esse GP, ainda mais na presença da minha torcida e amigos, e para fechar com chave de ouro ganhei o contrato com o Pancrase. Acho que o sonho de todo lutador é poder lutar na terra do Pride (extinto evento japonês), mas não quero ir até lá somente para lutar, vou para vencer – festejou o colombense, invicto em dez combates.

Com apenas 20 anos de idade, considerado um dos melhores meio-médios da nova safra de lutadores curitibanos, Turman comemora a 11ª vitória da carreira, de olho em uma chance entre os meio-médios no UFC.

– Essa vitória foi muito importante para minha carreira. O Dyego Roberto é um cara muito duro, e provei que não sou somente uma promessa, mostrei que vim para ficar. Eu e minha equipe estudamos muito as lutas dele, sabíamos que ele é lento e que não tem um bom jiu-jítsu, então, a gente impôs o ritmo o tempo todo e conseguimos anular o jogo dele – explicou Turman, que deu o máximo de si para impressionar Giovane Decker, presidente do UFC no Brasil, na plateia do Imortal FC.

– Lutar diante do Giovane Decker aumentou um pouco a responsabilidade (risos), afinal, é o ‘presidente’, mas acredito que consegui mostrar que mereço uma vaga. Fiquei muito feliz com a presença dele, ainda mais por receber o troféu da vitória das mãos dele. Entrar no UFC é meu maior sonho. Estou preparadíssimo. Vou bater em qualquer um que cruzar o meu caminho – avisou Turman.

DEIXE UMA RESPOSTA