Cappelozza, Polyana Vianna e Borrachinha conquistam títulos no Jungle FC 87

0
375

O público que lotou o Ibirapuera na noite deste sábado chuvoso em São Paulo acompanhou excelentes combates na edição 87 do Jungle Fight. Os confrontos corresponderam às expectativas e o evento sagrou três campeões da organização.

Bruno Campeão
Cappelozza ignora fratura no pé e conquista cinturão (Foto: Léo Fabri)

Na luta principal, Bruno Cappelozza e Klidson de Abreu duelaram pelo cinturão dos meio-pesados. Logo no primeiro round, Cappelozza, da Corinthians MMA, fraturou o pé, porém, a lesão não foi suficiente para parar o paulista, que vinha com vantagem nos dois primeiros rounds, e conseguiu o nocaute técnico aos três minutos do terceiro assalto.

“Eu gostaria de agradecer ao Wallid que me dá boas oportunidades e ajuda os atletas. Ontem foi meu aniversário e … mãe, quero meu bolo. Quebrei o pé no primeiro round, mas aqui a gente entra e só sai quando ganha. Aqui é Corinthians”, disse o aniversariante logo após sua oitava vitória na carreira.

Polyana Viana precisa de pouco mais de três minutos para finalizar Debora Dias
Polyana Viana não tomou conhecimento da paranaense Debora Dias e dominou sua adversária por completo. A atleta da Sombra Top Team e Lobato Top Team levava vantagem em pé e, quando o combate se desenrolou no solo, mostrou muita desenvoltura e rapidamente encaixou um armolock inapelável, obrigando ao árbitro interromper a luta. Foi a primeira defesa de cinturão da mãe de Deivid, que só quer saber de voltar para casa e rever seu filho.

“Agradeço a Deus, que é a base de tudo, depois a toda minha equipe. Agora quero voltar para casa e curtir meu filho. Estou morrendo de saudades”. Disse Polyana, que agora tem oito vitórias e uma derrota em seu cartel.

Paulo Borrachinha cumpre promessa e leva cinturão interino para Minas Gerais
Eduardo Camelo se mostrou guerreiro ao aceitar a luta pelo cinturão interino dos médios horas antes do evento após dois atletas desistirem de encarar o invicto Paulo Borrachinha. Acostumado a lutar em uma categoria abaixo, até 77 kg, Camelo não pensou duas vezes e abraçou a oportunidade, entretanto, Borrachinha não deu chances e pressionou seu adversário desde o começo da luta. Com golpes contundentes, ele se aproveitou de um knockdown aplicado em Camelo para trabalhar a parte de chão. Como havia prometido, Borrachinha alcançou a vitória em menos de três minutos de luta com um belo mata-leão.

“Eu vim e fiz o que falei que faria. Disse que a luta não iria para os juízes, que buscaria vencer no primeiro round. É minha sétima vitória consecutiva e estou esperando a oportunidade de lutar contra os melhores atletas do mundo”, disse Borrachinha agora invicto com sete vitórias em sete lutas – todas elas no primeiro round.

Adilson da Silva ignora pressão da torcida e leva a melhor contra Alisson Barbosa
Sempre que um atleta de São Paulo subia no cage, tinha a torcida a seu favor. Dessa vez Alisson Barbosa era o lutador da casa e recebeu a energia do público. Porém, seu adversário, o paraense Adilson da Silva, parece que não sentiu a pressão vinda das arquibancadas e mostrou muita qualidade técnica, elevando o nível do confronto. Após três rounds de trocação e boa movimentação no solo, a decisão ficou com os árbitros, que deram a vitória para Adilson. Foi a vigésima vitória na carreira do atleta da X-gym.

Aline Sattelmayer Vence Monique Bastos por decisão unânime
Os combates femininos são sempre bem recebidos pelo público e este não foi diferente. Monique Bastos e Aline Sattelmayer fizeram uma luta equilibrada no primeiro round, com ligeira vantagem para a paulistana Aline, que conectava melhor os golpes tanto em pé, quanto no chão. Nos rounds seguintes, Monique não conseguiu reverter a vantagem de Aline, que acabou vencendo por decisão unânime dos árbitros.

 Alex Poatan castiga Marcus Tatu e vence com facilidade

A primeira luta do card principal trouxe para a Arena Jungle dois atletas com excelente envergadura. No córner azul, o paulistano Alex Poatan com 1,94m e, no vermelho, o gaúcho Marcus Vinícius, de 1,86m. Apesar de muito grandes, ambos mostraram velocidade e boa movimentação dentro do cage. A estratégia do lutador do Rio Grade do Sul de levar a luta para o chão não deu certo e Alex Poatan, exaltado pela torcida, castigou seu adversário e conseguiu o nocaute técnico no final do segundo round.

 Resultados Jungle Fight 87:

Bruno Cappelozza venceu Klidson de Abreu por nocaute técnico aos 3m08s do 3R

Polyana Viana venceu Debora Dias com armlock aos 3m23s do 1R

Paulo Borrachinha venceu Eduardo ‘Camelo’ por nocaute técnico aos 2m40s do 1R

Simone Duarte venceu Samara Santos com mata leão aos 2m45s do 2R

Adilson Silva venceu Alisson Barbosa por decisão unânime triplo 30-27

Aline Sattelmayer venceu Monique Bastos por decisão unânime 27-30 28-30 27-30

Alex ‘Poatan’ Pereira venceu Marcus ‘Tatu’ por nocaute técnico aos 4m28s do 2R  

Israel Ottoni venceu Rafael Souza por decisão unânime triplo 28-29

Joel ‘Aranha’ Silva venceu Danilo Adreani por decisão dividida 30-27 28-29 28-29

João Paulo ‘Fortaleza’ venceu Lukas Campos com armlock aos 1m4s do 1R

Lucas Almeida venceu Diogo Silva com mata leão aos 2m26s do 2R

Deiveson Alcântara venceu Henrique Santos com uma guilhotina aos 2m38s do 1R

Kaynan Kruschewsky venceu Gabriel Gregório com mata leão aos 1m28s do 3R

Paulo Pizzo venceu Zé Reborn por decisão unânime 28-29 29-28 29-28

COMPARTILHAR
Artigo anteriorAmanda Ribas e De Assis dão show e faturam cinturões no Max Fight 18
Próximo artigoImortal FC 4: Jorge Blade quebra longa invencibilidade de Thiago Bel; Assista
Um apaixonado pelas artes marciais, inspirado pelo meu pai que assistia todas as lutas de boxe na década de 70, 80. Depois passei a acompanhar o Vale-Tudo a partir da década de 90 até a evolução para o MMA atual, em que tivemos como principal referência o sucesso do Pride no Japão e o maior evento do mundo, o UFC, um fenômeno que não para de crescer. Conheço a luta na prática. Comecei com o karatê na adolescência, mas não cheguei a me graduar. Já maior de idade, iniciei no Jiu-Jítsu em 2004 e nunca mais abandonei. Além de treinar, participo de competições. Minha maior conquista foi subir no pódio do Sul-Americano de JJ da CBJJ. Criei o site www.mmasul.com.br em 2008, com o objetivo de colaborar com o MMA nos três estados que compõem a região Sul (RS, SC e PR). Fui adiante. Além de fomentar o jornalismo marcial na região, levei o MMASUL a alcançar visibilidade e credibilidade de leitores e fãs e de colegas de imprensa de todo o Brasil. Após mais de sete anos de sucesso, resolvemos inovar e lançar um nome nacional, o maismma.com, a continuação do MMASUL. Estamos no ar, em busca da evolução diária, das melhores coberturas e das melhores notícias. Sempre ágeis e precisos nas informações do mundo do MMA. Agora, somos #MAISMMA. Fazer o que a gente ama não tem preço. É com enorme prazer que faço as coberturas de eventos, escrevo, entrevisto e fotografo. Agora, rumo às cerca de 20 coberturas de UFC, além de inúmeras participações como convidado de programas no canal Combate. Um abraço especial a você que parou alguns segundos para saber mais sobre mim e sobre o maior site especializado em MMA do Sul do país. Não esqueça de aproveitar para visitar o maismma.com e seguir-nos no Twitter: @MMASUL. Muito obrigado, FAMÍLIA! "O jornalismo é uma paixão insaciável que só se pode digerir e humanizar mediante a confrontação descarnada com a realidade. Quem não viveu a palpitação sobrenatural da notícia, o orgasmo do furo, a demolição moral do fracasso, não pode sequer conceber o que são. Ninguém que não tenha nascido para isso e esteja disposto a viver só para isso poderia persistir numa profissão tão incompreensível e voraz, cuja obra termina depois de cada notícia, como se fora para sempre, mas que não concede um instante de paz enquanto não torna a começar com mais ardor do que nunca no minuto seguinte." Parte do texto: "A melhor profissão do mundo" Por Gabriel García Márquez (Jornalista, editor e escritor colombiano, prêmio Nobel de Literatura em 1982, autor do aclamado "Cem anos de Solidão")

DEIXE UMA RESPOSTA