Carlston Harris e o cinturão do Brave: “Agora, o trabalho de verdade começa”

0
248

Carlston Harris segue surpreendendo quem está ligado no Brave Combat Federation. Em sua estreia na organização, o “Moçambique” acabou superando Thiago “Monstro” por nocaute no início do segundo round após ser considerado azarão no combate em alguns sites, como o Tapology. Não satisfeito, ele substituiu Mohammad Fakhreddine em combate por cinturão na véspera do Brave CF 8, contra Carl Booth, em Curitiba. 

Após conquistar o cinturão da organização, Carlston fez uma turnê com o seu título mundial e o apresentou a quem o ajudou na trajetória dessa conquista e isso inclui companheiros de equipe, familiares e amigos.

“Ninguém chega aonde quer sozinho. Como lutador, sempre foi meu sonho ser campeão mundial e precisava demonstrar meu respeito e gratidão a todos que me ajudaram durante minha carreira. Sou muito abençoado, pois aonde chego sou bem-vindo e por isso tenho livre trânsito em várias academias. Tinha que levar o cinturão para todo mundo ver o fruto dos seus trabalhos comigo. É um sonho estar aonde estou agora e muito disso se deve ao trabalho e o apoio dessas pessoas”, explicou Harris em relação ao tour junto de seu cinturão.
O guianês, atualmente campeão meio-médio do Brave, também falou sobre o combate que o rendeu o cinturão e também em relação ao próximo passo a ser dado na organização.
“Contra o Booth, tive que fazer uma estratégia ali na hora, pois entrei nesta luta um dia antes. Mas prometo dar um show na minha primeira defesa de cinturão. Eu luto com qualquer um, não escolho oponentes. Agora eu sou o campeão e vou enfrentar quem o Brave quiser. Espero lutar no Bahrein, em novembro, e já comecei a me preparar. Agora, o trabalho de verdade começa, pois preciso melhorar meu jogo, adicionar novas armas ao meu arsenal para manter este cinturão comigo”, completou.

DEIXE UMA RESPOSTA