Fighten MMA impressiona na estrutura e consagra Felipe Cruz como primeiro campeão

0
166

Em sua terceira edição, o Fighten MMA levou um grande público ao Ginásio Moringão no domingo (dia 11) para prestigiar nove superlutas, incluindo a disputa do cinturão inaugural dos pesos-leves entre Filipe Mineiro, parceiro de treinos de José Aldo e Felipe Cruz, pupilo de Thiago Tavares, veterano do UFC.

O show a parte ficou por conta da organização, que não deixou nada a desejar ao maior evento do mundo. A coletiva de imprensa semanas antes, a assinatura dos cartazes e o checape geral um dia antes da pesagem, a supervisão minuciosa da CABMMA, a estrutura metálica gigantesca com canhões de luz e telões de LED, o card formado por lutas duras e equilibradas, e o tratamento especial que os atletas e equipes receberam – foram diferenciais que colocam de vez o evento londrinense no topo do MMA nacional.

Em disputa sangrenta, Felipe Cruz fatura o primeiro cinturão do Fighten

Londrina - PR - 11/09/2016 - FIGHTEN 3 - Felipe Mineiro (detalhe azul nas luvas) x Felipe Cruz (detalhe vermelho nas luvas) durante terceira edicao do evento Fighten MMA Championship, realizado no Ginasio de Esportes Moringao em Londrina - PR. Foto: Jason Silva
Felipe Cruz inaugura cinturão – Foto: J. Silva

Na luta principal, Filipe Mineiro e Felipe Cruz protagonizaram uma verdadeira guerra, decorrida praticamente toda na troca franca em pé. Embalado por duas vitórias nas edições anteriores, Mineiro saiu em vantagem nos dois primeiros rounds, apresentando um volume maior de golpes contundentes. Cruz cresceu no terceiro assalto, conectou boas mãos e equilibrou. Após um quarto round acirrado, Mineiro saiu com o olho direito fechado pelo inchaço e sangrando pelo corte no supercílio esquerdo.

Claramente na frente na pontuação, Mineiro partiu com tudo para cima no quinto e último round, sempre andando para a frente com combinações certeiras. Sob pressão, Cruz recuou, esquivou-se e levou Mineiro para a grade em busca da queda. No clinch, Cruz soltou uma cotovelada no supercílio já machucado, aumentando a profundidade do corte.

Londrina - PR - 11/09/2016 - FIGHTEN 3 - Felipe Mineiro (detalhe azul nas luvas) x Felipe Cruz (detalhe vermelho nas luvas) durante terceira edicao do evento Fighten MMA Championship, realizado no Ginasio de Esportes Moringao em Londrina - PR. Foto: Jason Silva
O corte da derrota – Foto: J. Silva

O árbitro central Osiris Maia pediu tempo para que o médico da CABMMA Rodrigo Berlink examinasse o lutador, e o combate foi encerrado imediatamente, faltando 2min20s para o fim. Segundo a equipe médica, a interrupção não se deu somente pelo sangramento abundante, mas pela profundidade do corte e em um local que poderia causar um trauma ocular. Declarado o vencedor por nocaute técnico (interrupção médica), Felipe Cruz vibrou com a conquista do quarto cinturão consecutivo, o primeiro nos pesos-leves, e pediu uma oportunidade no UFC.

– Estou pronto para chegar lá e dar um show. Quero fazer história lá dentro, assim como o ‘espelho’ da nossa academia, Thiago Tavares, que está no UFC há dez anos – concluiu Cruz.

Chute Boxe-Diego Lima dá show com revelações Gustavo Gabriel e Willycat

Londrina - PR - 11/09/2016 - FIGHTEN 3 - Marcelo Dias (detalhe azul nas luvas) x Gustavo Gabriel (detalhe vermelho nas luvas) durante terceira edicao do evento Fighten MMA Championship, realizado no Ginasio de Esportes Moringao em Londrina - PR. Foto: Jason Silva
Gabriel apaga Hulk de pé – Foto: J. Silva

No coevento principal, Gustavo Gabriel, mais uma revelação da Chute Boxe-Diego Lima, não tomou conhecimento do jogo agressivo do catarinense Marcelo “Hulk” Dias e o colocou para baixo logo no início. Hulk defendeu a pegada nas costas e colocou a luta no centro. Eles trocaram chutes altos e arriscaram socos na curta. Em meio ao “tiroteio”, Hulk tentou catar a perna de Gabriel para derrubá-lo jogando o ganchinho, mas expôs o pescoço para que o alagoano radicado em São Paulo ajustasse uma guilhotina de pé e anotasse seu 12º triunfo invicto. Hulk optou por não bater na posição e apagou no decágono, recuperando os sentidos em seguida.

O mineiro Daniel Willycat, autor da melhor luta da noite no segundo Fighten MMA, prometia mais um show aos fãs de luta nesta terceira edição, e cumpriu.

Londrina - PR - 11/09/2016 - FIGHTEN 3 - Daniel Willycat (detalhe azul nas luvas) x Cleverson Carrilho (detalhe vermelho nas luvas) durante terceira edicao do evento Fighten MMA Championship, realizado no Ginasio de Esportes Moringao em Londrina - PR. Foto: Jason Silva
Willycat vence com chute – Foto: J. Silva

Willycat aceitou a trocação no confronto de invictos com o amazonense de Coari Cleverson Carrillho, que apesar de possuir poder de nocaute, preferiu levar a luta para o chão. Willycat se movintou por baixo e conseguiu levantar, soltando um soco rodado na guarda de Carrilho, o que não passou de uma finta.

Poucos segundos depois, Willycat ameaçou o mesmo golpe em cima, Carillho fechou a guarda protegendo a cabeça, mas deixou a linha de cintura aberta, exatamente como Willycat queria. Ele acertou um chute rodado em cheio (foto), decretando o nocaute técnico aos 3min10s do primeiro round, mantendo a invencibilidade e amargando a primeira derrota na carreira do amazonense.

Christian Tide sofre nocaute de Kuririn e se aposenta

Londrina - PR - 11/09/2016 - FIGHTEN 3 - Cristian Tidi (detalhe azul nas luvas) x Juliano Kuririn (detalhe vermelho nas luvas) durante terceira edicao do evento Fighten MMA Championship, realizado no Ginasio de Esportes Moringao em Londrina - PR. Foto: Jason Silva
Kuririn castiga Tide – Foto: J. Silva

No duelo de veteranos, o local Christian Tide, aos 40 anos de idade, fez a sua luta de despedida do MMA. Ele encarou o curitibano Juliano Kuririn, de 39 anos e sucumbiu aos ataques do visitante nos últimos segundos do terceiro round. Tide sofreu um knockdown no segundo, absorveu as pancadas e aplicou um cruzado perigoso em Kuririn. Mais cansado na última parcial, Tide parecia administrar o tempo, sem muita efetividade nos golpes. Kuririn tratou de acelerar e engatou uma sequência de socos em pé, continuando a bater por cima com Tide já caído. Com o ex-TUF e UFC Wagner Galeto no córner, Kuririn garantiu que ainda tem muita lenha para queimar.

Flávio Magon atropela Gordinho Venenoso em território hostil

Londrina - PR - 11/09/2016 - FIGHTEN 3 - Rafael Atilio (detalhe azul nas luvas) x Flavio Magon (detalhe vermelho nas luvas) durante terceira edicao do evento Fighten MMA Championship, realizado no Ginasio de Esportes Moringao em Londrina - PR. Foto: Jason Silva
Magon e o golpe do nocaute – Foto: J. Silva

Após muitas provocações na coletiva de imprensa e na encarada da pesagem, o londrinense Rafael Atílio, conhecido como “Gordinho Venenoso” saiu realmente na “porrada” como prometera – contra o visitante Flavio Magon. Ambos mostraram muito coração e deram um verdadeiro espetáculo à la “Wand” em tempos de Pride. Eles trocaram chumbo grosso na curta distância no primeiro round e empolgaram a plateia, que retribuiu com aplausos. A cena se repetiu no segundo e novamente os dois partiram para o tudo ou nada. A mão mais pesada combinada com a técnica colocaria um deles na lona. Melhor para o atleta de Apucarana. Magon acertou o queixo de Gordinho Venenoso, que desabou. Magon concretizou o nocaute com mais duas marteladas, antes de correr para abraçar a esposa e os filhos nas arquibancadas do Moringão.

Alessandro Da Lua sofre golpe ilegal e levanta a torcida com vitória inesperada

Londrina - PR - 11/09/2016 - FIGHTEN 3 - Alessandro Da Lua (detalhe azul nas luvas) x Isaac Moura (detalhe vermelho nas luvas) durante terceira edicao do evento Fighten MMA Championship, realizado no Ginasio de Esportes Moringao em Londrina - PR. Foto: Jason Silva
Da Lua recebe atendimento – Foto: J. Silva

Alessandro Da Lua fez a festa com uma vitória inusitada dentro de casa e caiu nos braços da “Mancha Azul”, torcida organizada do Londrina E.C. Da Lua queria a redenção depois de perder na edição passada. Amante do futebol, e velho conhecido das competições nacionais de muay thai e kickboxing, Da Lua evitou as tentativas de queda de Isaque Moura. O amazonense de Maraã, cidade a noroeste do amazonas, que fica a quatro dia de barco de Manaus, atualmente treina com o atleta do UFC John Lineker, mostrou que estava com os punhos afiados.

Isaque soltou um direto no abdômen de Da Lua, que já caiu nocauteado de quatro apoios. Automaticamente, Isaque aplicou mais um chute na cabeça de Da Lua, o famoso “tiro de meta”, quando na verdade deveria estar comemorando a vitória por nocaute. O golpe ilegal rendeu a Isaque uma dolorida derrota por desclassificação. Da Lua precisou de atendimento, foi liberado, e festejou muito com os londrinenses.

Resultados:

Felipe Cruz venceu Filipe Mineiro por nocaute técnico (interrupção médica) no quinto round, 2min30s;
Gustavo Gabriel venceu Marcelo Hulk por finalização (guilhotina) no primeiro round, 3min02s;
Juliano Kuririn venceu Christian Tide por nocaute técnico (socos) no terceiro round, 4min59s;
Flavio Magon venceu Rafael Atílio por nocaute (direto) no segundo round, 2min38s;
Alessandro Da Lua venceu Isaac Moura por desqualificação (chute ilegal) no primeiro round, 2min41s;
Willian Lima venceu Diogo Hannibal por nocaute técnico (socos) no primeiro round, 4min26s;
Luiz Cado venceu Rafael Teixeira por finalização (guilhotina) no primeiro round, 2min28s;
Daniel Willycat venceu Cleverson Carrilho por nocaute técnico (chute rodado) no primeiro round, 3min10s;
Dehan Sato venceu André Bugre por decisão unânime dos juízes.

DEIXE UMA RESPOSTA