Vídeo: Giovani Decker comemora preparativos para o UFC Curitiba e destaca duas lutas

0
146
Giovani Decker sobre o UFC 198: "Será épico" (Foto: Hugo Harada)
Giovani Decker sobre o UFC 198: “Será épico” (Foto: Hugo Harada)

O homem que mudou a cara do UFC no Brasil, Giovani Decker, atual presidente da organização, apostou em nomes de peso e superou as expectativas dos fãs ao anunciar o primeiro evento dentro de um estádio, além da primeira disputa de cinturão entre pesos-pesados no país. A edição 198, marcada para o próximo sábado (14), promete lotar a Arena da Baixada e marcar o MMA nacional como o maior evento da modalidade já realizado no Brasil.

Apesar da saída de Anderson Silva por problemas na vesícula biliar, o card segue com atletas do calibre de Rogério Minotouro, Demian Maia, Cris Cyborg e nada menos do que um duelo de gerações na co-luta principal. Vitor Belfort enfrenta Ronaldo Jacaré por uma chance pelo cinturão, provavelmente contra o vencedor de Chris Weidman e Luke Rockhold. Na luta principal Fabricio Werdum defende o título dos pesados contra Stip Miocic.

Para Giovani Decker, Belfort x Jacaré e Werdum x Miocic devem ser as melhores lutas da noite, por toda a história que os dois primeiros escreveram no MMA e pela primeira disputa cinturão de pesados no Brasil.

Confira a entrevista no vídeo:

UFC 198
14 de maio de 2016, em Curitiba (PR)

CARD PRINCIPAL (a partir de 23h de Brasília):

Peso-pesado: Fabricio Werdum x Stipe Miocic
Peso-médio: Adversário a definir x Uriah Hall*
Peso-casado (até 63,5kg): Cris Cyborg x Leslie Smith
Peso-meio-pesado: Mauricio Shogun x Corey Anderson

CARD PRELIMINAR (a partir de 19h15 de Brasília):

Peso-meio-médio: Demian Maia x Matt Brown
Peso-meio-médio: Warlley Alves x Bryan Barberena
Peso-médio: Thiago Marreta x Nate Marquardt
Peso-galo: John Lineker x Rob Font
Peso-meio-pesado: Rogério Minotouro x Patrick Cummins
Peso-leve: Francisco Massaranduba x Yancy Medeiros
Peso-meio-médio: Serginho Moraes x Luan Chagas
Peso-pena: Renato Moicano x Zubaira Tuk

COMPARTILHAR
Artigo anteriorFotos: Lutadores promovem encarada oficial no Media Day do UFC 198
Próximo artigoVídeo: Em dia de entrevistas, atletas fazem primeira encarada oficial do UFC 198
Um apaixonado pelas artes marciais, inspirado pelo meu pai que assistia todas as lutas de boxe na década de 70, 80. Depois passei a acompanhar o Vale-Tudo a partir da década de 90 até a evolução para o MMA atual, em que tivemos como principal referência o sucesso do Pride no Japão e o maior evento do mundo, o UFC, um fenômeno que não para de crescer. Conheço a luta na prática. Comecei com o karatê na adolescência, mas não cheguei a me graduar. Já maior de idade, iniciei no Jiu-Jítsu em 2004 e nunca mais abandonei. Além de treinar, participo de competições. Minha maior conquista foi subir no pódio do Sul-Americano de JJ da CBJJ. Criei o site www.mmasul.com.br em 2008, com o objetivo de colaborar com o MMA nos três estados que compõem a região Sul (RS, SC e PR). Fui adiante. Além de fomentar o jornalismo marcial na região, levei o MMASUL a alcançar visibilidade e credibilidade de leitores e fãs e de colegas de imprensa de todo o Brasil. Após mais de sete anos de sucesso, resolvemos inovar e lançar um nome nacional, o maismma.com, a continuação do MMASUL. Estamos no ar, em busca da evolução diária, das melhores coberturas e das melhores notícias. Sempre ágeis e precisos nas informações do mundo do MMA. Agora, somos #MAISMMA. Fazer o que a gente ama não tem preço. É com enorme prazer que faço as coberturas de eventos, escrevo, entrevisto e fotografo. Agora, rumo às cerca de 20 coberturas de UFC, além de inúmeras participações como convidado de programas no canal Combate. Um abraço especial a você que parou alguns segundos para saber mais sobre mim e sobre o maior site especializado em MMA do Sul do país. Não esqueça de aproveitar para visitar o maismma.com e seguir-nos no Twitter: @MMASUL. Muito obrigado, FAMÍLIA! "O jornalismo é uma paixão insaciável que só se pode digerir e humanizar mediante a confrontação descarnada com a realidade. Quem não viveu a palpitação sobrenatural da notícia, o orgasmo do furo, a demolição moral do fracasso, não pode sequer conceber o que são. Ninguém que não tenha nascido para isso e esteja disposto a viver só para isso poderia persistir numa profissão tão incompreensível e voraz, cuja obra termina depois de cada notícia, como se fora para sempre, mas que não concede um instante de paz enquanto não torna a começar com mais ardor do que nunca no minuto seguinte." Parte do texto: "A melhor profissão do mundo" Por Gabriel García Márquez (Jornalista, editor e escritor colombiano, prêmio Nobel de Literatura em 1982, autor do aclamado "Cem anos de Solidão")

DEIXE UMA RESPOSTA