Holloway nocauteia Pettis no UFC 206 e enfrenta Aldo pelo cinturão; Sucuri estreia com vitória

0
567
TORONTO, CANADA - DECEMBER 10: (R-L) Max Holloway punches Anthony Pettis in their interim UFC featherweight championship bout during the UFC 206 event inside the Air Canada Centre on December 10, 2016 in Toronto, Ontario, Canada. (Photo by Jeff Bottari/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)
Holloway vence Pettis e pega Aldo em fevereiro – Foto: Divulgação

 

O havaiano Max Holloway não tomou conhecimento das habilidades de Anthony Pettis e dominou completamente o ex-campeão dos pesos-leves na luta principal do UFC 206, neste sábado, dia 10, em Toronto, no Canadá, válida pelo cinturão interino dos pesos-pena.

Holloway despacha Pettis e encara Aldo pelo título linear dos penas

Holloway aplicou uma bela queda, castigou batendo por cima, em seguida aplicou um knockdown, abrindo caminho para conectar uma sequência impiedosa de socos e decretar a vitória por nocaute técnico aos 4min50s do terceiro round. Pettis sinalizou ao córner que quebrou a mão direita no final do segundo round, mas seguiu no combate até o fim. Momentos antes do duelo Holloway x Pettis no UFC 206, José Aldo, campeão linear dos pesos-pena, participou do programa “Altas Horas” da Globo e revelou ao apresentador Serginho Groisman que a sua volta acontece no UFC 208, dia 11 de fevereiro, em Nova Iorque. Se Aldo ainda não sabia o nome do primeiro desafiante, agora sabe. Holloway carimbou o passaporte com a vitória dominante sobre Pettis e encara Aldo pela unificação dos títulos, em fevereiro. Após comentar a lesão na mão ainda no octógono na entrevista a Joe Rogan, Pettis revelou que voltará aos pesos-leves, a sua categoria de origem. Lembrando que essa foi a primeira vez que Pettis não bateu o peso em 25 lutas na carreira.

Vando Lannata e Cowboy Cerrone aplicam nocautes brutais

Duas lutas surpreenderam os fãs ao redor do mundo. Primeiro, Vando Lannata aplicou o “nocaute do ano” com um chute rodado a lá Edson Barboza e mandou John Makdessi para lona de luzes apagadas a 1min40s do primeiro round. Donald Cerrone enfrentou Matt Brown no coevento principal e a luta vinha equilibrada. Brown dominou o centro do cage por alguns momentos e obrigou o Cowboy a recuar com combinações de golpes. Paciente e quero duro, Cerrone voltou para o terceiro e último round disposto a definir. Aos 34 segundo, o Cowboy desferiu uma canelada em cheio no rosto do compatriota, que caiu estirado, enquanto o homem do chapéu de couro já comemorava mais um nocaute para a sua coleção.

Cub Swanson vence Doo Ho Choi na “melhor luta do ano”

Na melhor luta do UFC 206 e por que não do ano, Cub Swanson e Doo Ho Choi “Superboy” deixaram os canadenses e quem acompanhou a transmissão de cabelo em pé. Eles disputaram três rounds de forma frenética, alternando golpes na curta distância, na trocação franca. Swanson cresceu no final do embate, caçou o sul-coreano pelo octógono e com um festival de socos endereçados ao rosto de Choi, garantiu a vitória por unanimidade. Choi suportou a pressão porque tem um coração enorme, resistência e mãos tão pesadas quanto Swanson. Swanson quebrou uma sequência de 12 vitórias do sul-coreano (3-1-0 UFC), e engatou a sua terceira vitória seguida.

Sucuri cresce na luta, vira e comemora estreia com vitória

A brasileira Viviane Sucuri estreou com o pé direito contra Valerie Letourneau, mas passou sufoco nos momentos inicias. Ela começou perdendo o primeiro round. Valerie derrubou a cearense e a castigou por baixo. Sucuri “acordou” no segundo, acreditou na trocação, aplicou uma queda e empatou a luta. O terceiro foi uma disputa acirrada. Em meio ao fogo cruzado, Sucuri conectou mais golpes com efetividade e convenceu os juízes. A primeira mulher a representar o Ceará no MMA teve o braço erguido por decisão dividida e manteve o cartel invicto de 12-0.

RESULTADOS:
Max Holloway vence Anthony Pettis por nocaute técnico aos 4m50s do R3
Donald Cerrone vence Matt Brown por nocaute aos 34s do R3
Cub Swanson vence Doo Ho Choi por decisão unânime (30-27, 30-27 e 29-28)
Kelvin Gastelum venceu Tim Kennedy por nocaute técnico aos 2m45s do R2
Emil Meek venceu Jordan Mein por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-28)
CARD PRELIMINAR
Misha Cirkunov venceu Nikita Krylov por finalização aos 4m58s do R1
Olivier Aubin-Mercier venceu Drew Dober por finalização a 2m57s do R2
Viviane Sucuri venceu Valerie Letourneau por decisão dividida (29-28, 28-29, 29-28)
Matthew Lopez venceu Mitch Gagnon por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-27)
Lando Vannata venceu John Makdessi por nocaute a 1m40s do R1
Rustam Khabilov venceu Jason Saggo por decisão unânime (triplo 30-27)
Dustin Ortiz venceu Zach Makovsky por decisão dividida (29-28, 28-29, 29-28)

COMPARTILHAR
Artigo anteriorJosé Aldo participa do Altas Horas e revela data e local da próxima luta
Próximo artigoDiego Davella castiga russo na trocação e finaliza em sua estreia no M-1; Assista
Um apaixonado pelas artes marciais, inspirado pelo meu pai que assistia todas as lutas de boxe na década de 70, 80. Depois passei a acompanhar o Vale-Tudo a partir da década de 90 até a evolução para o MMA atual, em que tivemos como principal referência o sucesso do Pride no Japão e o maior evento do mundo, o UFC, um fenômeno que não para de crescer. Conheço a luta na prática. Comecei com o karatê na adolescência, mas não cheguei a me graduar. Já maior de idade, iniciei no Jiu-Jítsu em 2004 e nunca mais abandonei. Além de treinar, participo de competições. Minha maior conquista foi subir no pódio do Sul-Americano de JJ da CBJJ. Criei o site www.mmasul.com.br em 2008, com o objetivo de colaborar com o MMA nos três estados que compõem a região Sul (RS, SC e PR). Fui adiante. Além de fomentar o jornalismo marcial na região, levei o MMASUL a alcançar visibilidade e credibilidade de leitores e fãs e de colegas de imprensa de todo o Brasil. Após mais de sete anos de sucesso, resolvemos inovar e lançar um nome nacional, o maismma.com, a continuação do MMASUL. Estamos no ar, em busca da evolução diária, das melhores coberturas e das melhores notícias. Sempre ágeis e precisos nas informações do mundo do MMA. Agora, somos #MAISMMA. Fazer o que a gente ama não tem preço. É com enorme prazer que faço as coberturas de eventos, escrevo, entrevisto e fotografo. Agora, rumo às cerca de 20 coberturas de UFC, além de inúmeras participações como convidado de programas no canal Combate. Um abraço especial a você que parou alguns segundos para saber mais sobre mim e sobre o maior site especializado em MMA do Sul do país. Não esqueça de aproveitar para visitar o maismma.com e seguir-nos no Twitter: @MMASUL. Muito obrigado, FAMÍLIA! "O jornalismo é uma paixão insaciável que só se pode digerir e humanizar mediante a confrontação descarnada com a realidade. Quem não viveu a palpitação sobrenatural da notícia, o orgasmo do furo, a demolição moral do fracasso, não pode sequer conceber o que são. Ninguém que não tenha nascido para isso e esteja disposto a viver só para isso poderia persistir numa profissão tão incompreensível e voraz, cuja obra termina depois de cada notícia, como se fora para sempre, mas que não concede um instante de paz enquanto não torna a começar com mais ardor do que nunca no minuto seguinte." Parte do texto: "A melhor profissão do mundo" Por Gabriel García Márquez (Jornalista, editor e escritor colombiano, prêmio Nobel de Literatura em 1982, autor do aclamado "Cem anos de Solidão")

DEIXE UMA RESPOSTA