Invicto, Leandro “Foguinho” estreia no Jungle com vitória, mira cinturão dos moscas, mas lamenta falta de apoio

0
117

De promessa a realidade, Leandro Soares, conhecido como “Foguinho” pelo cabelo ruivo, anotou a sua oitava vitória da carreira no Jungle Fight 89, realizado em São Paulo, no último final de semana, mantendo a invencibilidade.

Foguinho dominou o atleta da casa Paulo Henrique “Pitbull” na etapa inicial, chegando à finalização no segundo round. Em um bate-papo com o MAISMMA, o representante da equipe porto-alegrense Sombra Team conta que não sentiu nenhuma pressão por lutar pela primeira vez em um evento do porte do Jungle Fight e ao vivo para todo o Brasil.

– Foi bem tranquilo. Durante todo o meu camp para a luta em nenhum momento tentei lembrar que eu iria lutar ao vivo e no Jungle, mentalizava que seria somente mais um dia de trabalho. Estava muito feliz lá na hora e acredito que esta felicidade me proporcionou uma luz para me deixar iluminado e executar tudo o que treinamos com excelência – explica o gaúcho.

Considerado completo tanto na trocação quanto no solo, Foguinho entrou determinado a impressionar, e logo no início do combate acertou um chute frontal que levou Pitbull à lona (knockdown), o que lhe deu ainda mais confiança para voltar para o segundo e finalizar o paulista com um estrangulamento mão com mão.

Conseguimos ver somente uma luta dele, na qual ele nocauteou o adversário em 30 segundos. Então, não estudei muita coisa. A estratégia era trocar e fazer um jogo de grade. Mas, em 20 segundos de luta tive a felicidade de acertar um chute frontal. Ele caiu e eu aproveitei para ir para cima e desenrolar no chão, vindo a vitória com um ‘esgana galo’ somente no segundo round.

Foguinho acredita ter deixado uma boa impressão na estreia e espera por uma nova chance em breve. Apesar do cartel invicto, o leopoldense lamenta a falta de patrocínios e revela a dificuldade de viver somente das aulas que ministra. O principal foco do lutador é chegar ao título da divisão até 57 kg e consequentemente ao UFC. Mas, para alcançar o sonho, Foguinho espera poder contar com patrocinadores.

– Vou ser campeão dos moscas no Jungle. Esse é o objetivo e vou buscar. E se aparecer uma oportunidade no UFC antes ou depois disso estarei pronto. A maior dificuldade de um atleta no Brasil é a falta de incentivo. Mesmo tendo um cartel de 8-0 não tenho nenhum patrocinador. Fica difícil. Tenho família (esposa e filha), então dependo das aulas e lutas, não tenho uma renda fixa. Estou correndo atrás de alguns patrocinadores e espero conseguir em breve – revela o marido da Suelen e pai da Isabella.

Assista: Leandro “Foguinho x Paulo “Pitbull”

DEIXE UMA RESPOSTA