João Gabriel Rocha fatura o cinturão do ACB JJ e relembra batalha contra o câncer

0
547
JG Rocha vibra com cinturão e relembra fase do câncer - Foto: MAISMMA
JG Rocha vibra com o cinturão e relembra a fase do câncer – Foto: MAISMMA

João Gabriel Rocha se emocionou e emocionou o público que lotou o Clube Hebraica (SP) na última sexta-feira (26) para assistir às superlutas do ACB JJ 10. O faixa-preta deu um show de garra e técnica para vencer o até então campeão da categoria acima de 95 kg, Luiz Panza.

Semelhante às regras do MMA, a luta principal do ACB JJ 10 valendo título, teve cinco rounds de cinco minutos. De forma estratégica, trabalhando a maior parte do tempo por cima, Rocha pontuou com segurança para tornar-se o novo campeão do evento russo por decisão unânime dos juízes.

Rocha caiu nas lágrimas assim que o tempo acabou. Passou um filme na cabeça do campeão dos tatames e da vida. Em um bate-papo com o MAISMMA, Rocha revelou a vitória sobre o câncer entre 2013 e 2014, quando começava a despontar na elite do Jiu-Jítsu mundial.

Com o cinturão sobre o ombro, ovacionado pela torcida e cumprimentado por todos os competidores da noite, Rocha mandou um recado: “Não adianta ser campeão faixa-preta aqui dentro e fora daqui não merecer nem uma faixa-branca”. A frase remeteu à vida de lutas também fora do tatame, época em que ele travou uma guerra contra a doença e claro, uma forma de fortalecer àqueles que se entregam ou pensam em desistir ao primeiro problema.

– Eu gosto de falar do câncer não como desculpa para alguma coisa, gosto de falar do câncer para poder inspirar novas pessoas. Tem coisas que acontecem na nossa vida… Não é só o câncer. É dificuldade financeira, famílias com problemas. Acho que é mais uma superação que acontece na nossa vida (o câncer) que a gente tem que superar e que ninguém ensina pra gente, a gente tem que aprender certas coisas sozinho – revelou o novo campeão do ACB JJ, antes de dar maiores detalhes sobre a volta por cima.

– Fiz quatro tratamentos completos de quimioterapia de 2013 a 2014. Foi meu primeiro ano na faixa-preta. Eu tinha acabado de ser vice-campeão mundial com três meses de faixa-preta. Com seis meses de faixa-preta fui vice-campeão do ADCC, atleta mais novo na história a fazer uma final de ADCC. Tinha uma carreira promissora, desde então, e acabei descobrindo o câncer num treinamento de Jiu-Jítsu. Senti dor, fui fazer exame de sangue, tomografia, já saiu na hora: câncer nos testículos. A partir de então eu operei, depois fiz quatro tratamentos completos de quimioterapia. Três a quatro meses depois eu já estava fazendo a final do Mundial faixa-preta de novo. Foi o que eu falei: são coisas na nossa vida que acontecem que a gente não espera, e que simplesmente ou a gente cai e fica ou a gente cai e levanta, e eu escolhi levantar e estou aqui até hoje – revelou Rocha, muito emocionado, ao lembrar do quanto a esposa Gabriela (namorada na época do câncer) e o irmão Pedro foram importantes durante o tempo hospitalizado e durante toda a recuperação.

– Dedico esse título a eles dois – finalizou o inspirador campeão.

DEIXE UMA RESPOSTA