Leoa bombardeia Ronda em 48s e mantém cinturão; Garbrandt baila diante de Cruz e é o novo rei dos galos

0
122
Leoa extermina Ronda em 48s - Foto: Getty Images
Leoa extermina Ronda em 48s – Foto: Getty Images

 

O UFC 207: Rousey vs. Nunes, o último evento da organização no ano, contou com duas disputas de cinturão, combates disputadíssimos e a participação de três brasileiros, incluindo Amanda “Leoa”, que defendeu seu reinado com unhas e dentes diante da ex-campeã Ronda Rousey. Nas preliminares, Alex “Cowboy” Oliveira e Antônio “Cara de Sapato” Junior tiveram grandes atuações, mas apenas um deles saiu com o resultado positivo.

Amanda “Leoa” massacra Ronda Rousey em 48s e mantém cinturão

A campeã dos pesos-galos feminino, Amanda Nunes, a “Leoa”, ignorou a marra e a cara fechada da desafiante Ronda Rousey e atropelou a judoca olímpica em apenas 48 segundos. A baiana encurtou a distância e acertou o rosto da ex-campeã em cheio. Ronda sentiu a mão pesada da brasileira e tentou agarrá-la para buscar a queda e suas conhecidas finalizações, mas Amanda manteve a americana afastada, mostrou um boxe refinado e a nocauteou com uma avalanche de soco em pé. Herb Dean precisou intervir, senão o castigo seria ainda maior. Ronda estava cambaleante e prestes a cair. “Vocês têm que parar com essa palhaçada de Ronda Rousey. Agora a campeã é Amanda Nunes! Esqueçam ela. Ela vai se aposentar e fazer filmes. Eu sou a campeã”, rugiu a Leoa.

Cody Garbrandt dá show, desbancae dedica título ao fã Maddux Maple

Cody Garbrandt “No Love” fez uma luta extremamente inteligente, superou o campeão Dominick Cruz na agilidade e no boxe e tornou-se o novo detentor do cinturão dos pesos-galos, mantendo-se invicto (11-0). A cada golpe conectado, Cody provocava com gestos. Antes de ter o braço erguido por unanimidade, Cody chegou a aplicar três konockdowns, contra um de Cruz. Na comemoração, o novo “rei” da categoria chamou o seu fã número um, Maddux Maple e colocou o cinturão nele. O garotinho de 10 anos de idade teve diagnóstico de leucemia há cerca de dois anos. Cody fez inúmeras visitas a Maddux e acompanhou toda a sua recuperação. Eles são grandes amigos.

T.J Dillashaw domina John Lineker e se credencia à disputa cinturão

Ex-campeão peso-galo, T.J. Dillashaw lutou de forma estratégica contra John Lineker “Mãos de Pedra” e garantiu uma nova chance de disputar o título. O americano evitou a troca franca de golpes em pé, trabalhou as quedas com excelência e castigou o brasileiro no ground and pound  para selar uma vitória tranquila por decisão unânime. Dillashaw deve enfrentar o novo campeão dos pesos-galos Cody “No Love” Garbrandt.

Alex Garcia aplica “nocaute da noite” sobre veterano Mike Pyle

Alex Garcia não tomou conhecimento e garantiu um dos bônus de “Performance da Noite” com um nocaute brutal sobre o veterano de 41 anos Mike Pyle. Garcia respondeu a um chute baixo com um direto de direita aos 3:34 do R1. Um bomba. Pyle caiu apagado e amargou a quarta derrota nas últimas cinco lutas. Garcia se recuperou do revés diante de Sean Strickland, no UFC Fight Night 83, em fevereiro.

Cara de Sapato faz duelo equilibrado e supera italiano na decisão

A primeira e única vitória brasileira da noite veio com Antônio “Cara de Sapato” Júnior. O campeão mundial de jiu-jítsu derrotou o italiano Marvin Vettori por decisão unânime e desejou um Feliz Ano Novo a todos.

Alex Cowboy sofre golpes ilegais e luta fica “sem resultado”

Alex Cowboy fazia um combate equilibrado contra o americano Tim Means, mas aos 3:31 do R1 o brasileiro acabou sofrendo duas joelhadas ilegais na posição de três apoios. Cowboy recebeu atendimento médico, em seguida o árbitro central Dan Miragliota encerrou o combate e declarou No Contest (Sem Resultado). Cowboy foi atingido no nariz, sangrou bastante e logo depois encaminhado ao hospital. Ele passa bem. Pela regra o americano deveria ser desclassificado, mas os juízes decidiram pelo No Contest.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorFacção esbanja confiança para defesa de cinturão no Noxii 2: “Luta fácil, vou passear”
Próximo artigoAldo anuncia mudança para os leves de olho em revanche com McGregor
Um apaixonado pelas artes marciais, inspirado pelo meu pai que assistia todas as lutas de boxe na década de 70, 80. Depois passei a acompanhar o Vale-Tudo a partir da década de 90 até a evolução para o MMA atual, em que tivemos como principal referência o sucesso do Pride no Japão e o maior evento do mundo, o UFC, um fenômeno que não para de crescer. Conheço a luta na prática. Comecei com o karatê na adolescência, mas não cheguei a me graduar. Já maior de idade, iniciei no Jiu-Jítsu em 2004 e nunca mais abandonei. Além de treinar, participo de competições. Minha maior conquista foi subir no pódio do Sul-Americano de JJ da CBJJ. Criei o site www.mmasul.com.br em 2008, com o objetivo de colaborar com o MMA nos três estados que compõem a região Sul (RS, SC e PR). Fui adiante. Além de fomentar o jornalismo marcial na região, levei o MMASUL a alcançar visibilidade e credibilidade de leitores e fãs e de colegas de imprensa de todo o Brasil. Após mais de sete anos de sucesso, resolvemos inovar e lançar um nome nacional, o maismma.com, a continuação do MMASUL. Estamos no ar, em busca da evolução diária, das melhores coberturas e das melhores notícias. Sempre ágeis e precisos nas informações do mundo do MMA. Agora, somos #MAISMMA. Fazer o que a gente ama não tem preço. É com enorme prazer que faço as coberturas de eventos, escrevo, entrevisto e fotografo. Agora, rumo às cerca de 20 coberturas de UFC, além de inúmeras participações como convidado de programas no canal Combate. Um abraço especial a você que parou alguns segundos para saber mais sobre mim e sobre o maior site especializado em MMA do Sul do país. Não esqueça de aproveitar para visitar o maismma.com e seguir-nos no Twitter: @MMASUL. Muito obrigado, FAMÍLIA! "O jornalismo é uma paixão insaciável que só se pode digerir e humanizar mediante a confrontação descarnada com a realidade. Quem não viveu a palpitação sobrenatural da notícia, o orgasmo do furo, a demolição moral do fracasso, não pode sequer conceber o que são. Ninguém que não tenha nascido para isso e esteja disposto a viver só para isso poderia persistir numa profissão tão incompreensível e voraz, cuja obra termina depois de cada notícia, como se fora para sempre, mas que não concede um instante de paz enquanto não torna a começar com mais ardor do que nunca no minuto seguinte." Parte do texto: "A melhor profissão do mundo" Por Gabriel García Márquez (Jornalista, editor e escritor colombiano, prêmio Nobel de Literatura em 1982, autor do aclamado "Cem anos de Solidão")

DEIXE UMA RESPOSTA