Michelle Waterson apaga Paige VanZant na luta principal do UFC Sacramento; Assista

0
160
SACRAMENTO, CA - DECEMBER 17: Michelle Waterson secures a rear choke submission against Paige VanZant in their women's strawweight bout during the UFC Fight Night event inside the Golden 1 Center Arena on December 17, 2016 in Sacramento, California. (Photo by Jeff Bottari/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)
VanZant apaga no mata-leão – Foto: Jeff Bottari

Michelle Waterson não deu chances à Paige VanZant na luta principal do UFC Sacramento, realizado neste sábado (17), na Califórnia. Apesar da menor envergadura, Waterson aceitou trocar em pé e conseguiu a aproximação para aplicar uma bela queda e finalizar VanZant com um mata-leão, o segundo consecutivo na organização.

Luis Henrique “Frankenstein” fez um duelo de invictos com Paul Craig e o estreante foi quem levou a melhor. O escocês dominou o primeiro round, castigando o brasileiro no ground and pound. Mais confiante no segundo, Craig puxou Frankenstein para a guarda e encaixou um armlock.

Assista à finalização de Waterson sobre VanZant:

Resultados do UFC Sacramento:

CARD PRINCIPAL
Michelle Waterson venceu Paige VanZant por finalização aos 3m21s do R1
Mickey Gall venceu Sage Northcutt por finalização aos 1m40s do R2
Urijah Faber venceu Brad Pickett por decisão unânime (triplo 30-26)
Alan Jouban venceu Mike Perry por decisão unânime (29-28, 30-27 e 30-27)
CARD PRELIMINAR
Paul Craig venceu Henrique Frankenstein por finalização a 1m59s do R2
Mizuto Hirota venceu Cole Miller por decisão unânime (30-26, 30-27 e 30-27)
Colby Covington venceu Bryan Barberena por decisão unânime (triplo 30-27)
Alex Morono venceu James Moontasri por decisão unânime (triplo 29-28)
Josh Emmett venceu Scott Holtzman por decisão unânime (triplo 29-28)
Leslie Smith venceu Irene Aldana por decisão unânime (29-28, 29-28 e 30-27)
Eddie Wineland venceu Takeya Mizugaki por nocaute técnico aos 3m04s do R1
Hector Sandoval venceu Fredy Serrano por decisão unânime (30-27, 29-28 e 30-27)
Sultan Aliev venceu Bojan Velickovic por decisão dividida (28-29, 30-27 e 30-27)

COMPARTILHAR
Artigo anteriorUrijah Faber vence Brad Pickett com excelência e confirma aposentadoria
Próximo artigoACB 50: Marcelo Alfaya vence russo de lavada e Maguila é prejudicado; Assista
Um apaixonado pelas artes marciais, inspirado pelo meu pai que assistia todas as lutas de boxe na década de 70, 80. Depois passei a acompanhar o Vale-Tudo a partir da década de 90 até a evolução para o MMA atual, em que tivemos como principal referência o sucesso do Pride no Japão e o maior evento do mundo, o UFC, um fenômeno que não para de crescer. Conheço a luta na prática. Comecei com o karatê na adolescência, mas não cheguei a me graduar. Já maior de idade, iniciei no Jiu-Jítsu em 2004 e nunca mais abandonei. Além de treinar, participo de competições. Minha maior conquista foi subir no pódio do Sul-Americano de JJ da CBJJ. Criei o site www.mmasul.com.br em 2008, com o objetivo de colaborar com o MMA nos três estados que compõem a região Sul (RS, SC e PR). Fui adiante. Além de fomentar o jornalismo marcial na região, levei o MMASUL a alcançar visibilidade e credibilidade de leitores e fãs e de colegas de imprensa de todo o Brasil. Após mais de sete anos de sucesso, resolvemos inovar e lançar um nome nacional, o maismma.com, a continuação do MMASUL. Estamos no ar, em busca da evolução diária, das melhores coberturas e das melhores notícias. Sempre ágeis e precisos nas informações do mundo do MMA. Agora, somos #MAISMMA. Fazer o que a gente ama não tem preço. É com enorme prazer que faço as coberturas de eventos, escrevo, entrevisto e fotografo. Agora, rumo às cerca de 20 coberturas de UFC, além de inúmeras participações como convidado de programas no canal Combate. Um abraço especial a você que parou alguns segundos para saber mais sobre mim e sobre o maior site especializado em MMA do Sul do país. Não esqueça de aproveitar para visitar o maismma.com e seguir-nos no Twitter: @MMASUL. Muito obrigado, FAMÍLIA! "O jornalismo é uma paixão insaciável que só se pode digerir e humanizar mediante a confrontação descarnada com a realidade. Quem não viveu a palpitação sobrenatural da notícia, o orgasmo do furo, a demolição moral do fracasso, não pode sequer conceber o que são. Ninguém que não tenha nascido para isso e esteja disposto a viver só para isso poderia persistir numa profissão tão incompreensível e voraz, cuja obra termina depois de cada notícia, como se fora para sempre, mas que não concede um instante de paz enquanto não torna a começar com mais ardor do que nunca no minuto seguinte." Parte do texto: "A melhor profissão do mundo" Por Gabriel García Márquez (Jornalista, editor e escritor colombiano, prêmio Nobel de Literatura em 1982, autor do aclamado "Cem anos de Solidão")

DEIXE UMA RESPOSTA