Minotouro considera sonho liderar card do UFC SP contra Bader e avisa: “Conheço o jogo dele”

0
110
Minotouro promete devolver derrota - Foto: Jason Silva
Minotouro promete devolver derrota – Foto: Jason Silva

 

O UFC desembarca em São Paulo, neste sábado (19), com a edição “UFC Fight Night 100”, que acontece no ginásio do Ibirapuera. Na luta principal, os meio-pesados Rogério Minotouro e Ryan Bader fazem uma aguardada revanche. Há seis anos, o americano levou a melhor no UFC 119, superando Minotouro por unanimidade. O brasileiro que vem de vitória por nocaute sobre Patrick Cummins no histórico UFC 198, realizado em maio, em Curitiba, garante que conhece o adversário o suficiente para derrotá-lo.

Eu comecei nesse esporte quando quase ninguém o conhecia aqui no Brasil e hoje eu lidero um card no país. É a realização de um sonho, sem dúvidas. Essa luta significa muito para mim. Além da revanche, ela vem para confirmar o bom momento que estou vivendo depois do nocaute sobre o Cummins em Curitiba. O Bader é um cara estratégico, forte, gosta de levar para o chão, mas eu estou consciente de tudo o que preciso fazer para anular o jogo dele”.

Bader vem de vitória também por nocaute com uma bela joelhada sobre Ilir Latifi, em luta realizada em setembro. Contente por lutar no Brasil de novo, o wrestler quer transformar o barulho da torcida contra como motivação para vencer Minotouro mais uma vez.

UFC Fight Night Combate – Minotouro x Bader
19 de novembro, em São Paulo (SP)
CARD PRINCIPAL
Peso meio-pesado: Rogério Minotouro x Ryan Bader
Peso-galo: Thomas Almeida x Albert Morales
Peso-palha: Cláudia Gadelha x Cortney Casey
Peso meio-médio: Warlley Alves x Kamaru Usman
Peso médio: Thales Leites x Krzysztof Jotko
Peso meio-médio: Serginho Moraes x Zak Ottow
CARD PRELIMINAR (a partir das 21h, horário de Brasília)
Peso meio-pesado: Francimar Bodão x Darren Stewart
Peso médio: Cézar Mutante x Jack Hermansson
Peso meio-pesado: Marcos Pezão x Gadzhimurad Antigulov
Peso-galo: Johnny Eduardo x Manny Gamburyan
Peso pesado Luis Henrique KLB x Christian Colombo
Peso-galo: Pedro Munhoz x Justin Scoggins

COMPARTILHAR
Artigo anteriorThominhas promete novo nocaute dentro de casa, mas destaca: “Pressão existe sempre”
Próximo artigoRyan Bader bate Minotouro pela segunda vez no UFC São Paulo; Thominhas dá show
Um apaixonado pelas artes marciais, inspirado pelo meu pai que assistia todas as lutas de boxe na década de 70, 80. Depois passei a acompanhar o Vale-Tudo a partir da década de 90 até a evolução para o MMA atual, em que tivemos como principal referência o sucesso do Pride no Japão e o maior evento do mundo, o UFC, um fenômeno que não para de crescer. Conheço a luta na prática. Comecei com o karatê na adolescência, mas não cheguei a me graduar. Já maior de idade, iniciei no Jiu-Jítsu em 2004 e nunca mais abandonei. Além de treinar, participo de competições. Minha maior conquista foi subir no pódio do Sul-Americano de JJ da CBJJ. Criei o site www.mmasul.com.br em 2008, com o objetivo de colaborar com o MMA nos três estados que compõem a região Sul (RS, SC e PR). Fui adiante. Além de fomentar o jornalismo marcial na região, levei o MMASUL a alcançar visibilidade e credibilidade de leitores e fãs e de colegas de imprensa de todo o Brasil. Após mais de sete anos de sucesso, resolvemos inovar e lançar um nome nacional, o maismma.com, a continuação do MMASUL. Estamos no ar, em busca da evolução diária, das melhores coberturas e das melhores notícias. Sempre ágeis e precisos nas informações do mundo do MMA. Agora, somos #MAISMMA. Fazer o que a gente ama não tem preço. É com enorme prazer que faço as coberturas de eventos, escrevo, entrevisto e fotografo. Agora, rumo às cerca de 20 coberturas de UFC, além de inúmeras participações como convidado de programas no canal Combate. Um abraço especial a você que parou alguns segundos para saber mais sobre mim e sobre o maior site especializado em MMA do Sul do país. Não esqueça de aproveitar para visitar o maismma.com e seguir-nos no Twitter: @MMASUL. Muito obrigado, FAMÍLIA! "O jornalismo é uma paixão insaciável que só se pode digerir e humanizar mediante a confrontação descarnada com a realidade. Quem não viveu a palpitação sobrenatural da notícia, o orgasmo do furo, a demolição moral do fracasso, não pode sequer conceber o que são. Ninguém que não tenha nascido para isso e esteja disposto a viver só para isso poderia persistir numa profissão tão incompreensível e voraz, cuja obra termina depois de cada notícia, como se fora para sempre, mas que não concede um instante de paz enquanto não torna a começar com mais ardor do que nunca no minuto seguinte." Parte do texto: "A melhor profissão do mundo" Por Gabriel García Márquez (Jornalista, editor e escritor colombiano, prêmio Nobel de Literatura em 1982, autor do aclamado "Cem anos de Solidão")

DEIXE UMA RESPOSTA