Roger analisa nova luta com Buchecha e revela despedida dos tatames

0
334
Roger anuncia aposentadoria das competições de kimono - Foto: Strikeforce
Roger anuncia aposentadoria das competições de kimono – Foto: Strikeforce

Primeiro tricampeão absoluto da história do Jiu-Jítsu e primeiro lutador a conquistar dez títulos Mundiais na faixa-preta, Roger Gracie tem um reencontro marcado com Marcos Buchecha no próximo domingo no Rio de Janeiro, na superluta do Gracie Pro, evento organizado pela ex-atleta e comentarista do canal Combate, Kyra Gracie. Roger e Buchecha, que também chegou à marca de dez medalhas de ouro em Mundiais na faixa-preta, se enfrentaram pela primeira vez em outubro de 2012, nas regras do Metamoris: 20 minutos, sem pontuação, apenas finalização. Eles empataram.

Agora, os dois fazem um tira-teima nas regras da IBJJF – International Brazilian Jiu-Jitsu Federation, valendo pontuação. A única diferença é que serão acrescentados cinco minutos. Portanto, serão 15 minutos de luta com pontos. Roger adiantou em entrevista durante o programa “Revista Combate” na última terça-feira, que se despedirá definitivamente dos tatames no dia 26 agosto, em Las Vegas, quando participará de um Grand Prix promovido pela IBJJF com oito lutadores convidados, valendo 40 mil dólares. Entre os competidores está Marcus Buchecha.

– Vou lutar o GP em Las Vegas, no dia 26 de agosto. Mas com certeza essas duas serão as minhas últimas lutas. No MMA pretendo fazer mais algumas lutas ainda – revelou o Gracie, que possui 8 vitórias e 2 derrotas vestindo as luvas pequenas.

Roger pontuou a principal vantagem de Buchecha. Acostumado a lutar com adversários menores ao longo da carreira, o Gracie explicou que o rival possui praticamente o mesmo tamanho, mas possui a vantagem do peso, o que automaticamente exige mais energia para movimentar o oponente.

– Sempre ouvi que as pessoas tinham dificuldade de lutar comigo pelo meu tamanho, pela alavanca. O Buchecha tem isso também. Temos mais ou menos o mesmo tamanho, mas ele tem mais peso. A vantagem que ele tem é que vou ter que usar mais energia. Se ele fosse pequeno, não precisava de tanta energia para mexer o adversário. Isso cria uma dificuldade um pouco, mas, enfim, é mais um desafio na luta.

Bucheca também também participou do programa Revista Combate na terça. A pedido dos atletas, a produção fez entrevistas separadas, para manter aquele clima de rivalidade pelo menos até domingo. Buchecha fez a sua avaliação sobre Roger, afirmando que não se preocupa com as armas do adversário, mas que ele sim deve se preocupar.

– Vai ser o jogo dele, aquele jogo que todo mundo sabe que ele vai fazer, um jiu-jítsu bem simples, mas muito eficiente. Estou preparado para isso, venho de um ritmo, treinando para o Mundial, que eram dez tipos diferentes de jogo, e eu precisava estar preparado, por isso eu não tento pensar em um jogo só. A ideia é colocar ele para se preocupar comigo, e não eu com ele (risos) – finalizou Buchecha.

DEIXE UMA RESPOSTA