Santiago Ponzinibbio vai da barraca no Brasil à luta principal do UFC Argentina: “Eu acreditei”

0
99
Ponzinibbio enfrenta Magny de olho na sétima vitória seguida - Foto: Divulgação/UFC
Ponzinibbio enfrenta Magny de olho na sétima vitória seguida – Foto: Divulgação/UFC

Santiago Ponzinibbio, conhecido como “El Rasta” por conta do cabelo, deixou o seu país com uma mão na frente e outra atrás, mas com um sonho definido: tornar-se lutador do UFC. Santiago escolheu Florianópolis (SC), onde nos primeiros meses chegou a morar numa barraca na praia. O sustento veio das sessões de massagem que oferecia aos turistas na praia e da venda de artesanato. As coisas foram se ajeitando, Santiago começou a treinar e a competir nos eventos nacional, até chegar ao TUF Brasil, mostrando nas telas da TV que sua personalidade nada tem a ver com a ríspida rivalidade entre Brasil e Argentina no futebol, tanto que ele ganhou o apelido de “Gente Boa”, o argentino gente boa. Depois de cumprir a missão no Brasil, fazer um cartel positivo de vitórias, ser finalista do TUF e assinar contrato com o UFC, Santiago buscou a sua evolução no Estados Unidos.

– Os últimos dez anos da minha vida foram muito difíceis. Mudei para o Brasil sem nada e lá eu batalhei muito. Quando consegui me estabilizar, tive que mudar para os EUA, também sem nada. Sempre me adaptando às culturas e idiomas diferentes, sem contatos. Foi pesado, uma luta, mas consegui de novo.

Atualmente o número 10 do ranking dos meio-médios do Ultimate, Santiago soma 10 lutas na organização: oito vitórias e dois reveses. Em ótima fase, o argentina vem de seis vitórias consecutivas, três por nocaute no primeiro round. Prestes a realizar mais um sonho, fazer a luta principal do UFC Buenos Aires, diante da própria torcida, no dia 17 de novembro, Santiago vibra.

– Estou acostumado. Imagine, muitas vezes lutei no Brasil sendo argentino, no Canadá contra canadense, contra europeu na Europa… Hoje tenho o meu país a favor, isso vai me gerar uma motivação extra. Ficarei feliz de ver os argentinos me incentivando, vai somar muito, não acredito que isso gere alguma pressão.

Se depender da tradicional forma de torcer no futebol, conhecidos por tamanho fanatismo, os argentinos vão mesmo empolgar o atleta da casa para buscar a vitória contra o americano Neil Magny (#8). 

– Faz muitos anos que venho lutado, trabalhando fora como visitante e por sorte pudemos trazer o evento para a Argentina. Espero fazer uma luta espetacular contra o Magny, um atleta de nome e que vem de vitórias. Estou muito focado. Os argentinos realmente são conhecidos pela torcida, pela paixão, então, com 16 mil pessoas lá na arena vibrando vai ser lindo – vislumbra Gente Boa.

Realizado como profissional, trilhando seu caminho até o título da categoria, Ponzinibbio que já passou maus bocados e nunca desistiu do objetivo, deixa uma mensagem de otimismo a quem tem alguma dúvida de que pode chegar onde almeja.

– Quero dizer às pessoas que tem que lutar, vocês não podem se dar por vencidos, e sim dizer, sim eu consigo. Não somente na luta, mas na vida. Tem que seguir lutando e acreditar que as coisas vão melhorar. Se você está passando por um momento difícil, segue trabalhando duro que a resposta está logo a frente. 

DEIXE UMA RESPOSTA