Sarah Frota mostra confiança para estreia no UFC Fortaleza: “Dar um show digno da Treta”

0
399

Sarah Frota sempre gostou de praticar esportes, e na época do colégio experimentou um pouco de tudo. Dos 7 aos 14 anos ela fez judô, capoeira, vôlei e futebol. Mas apenas aos 20 anos ela descobriu o Jiu-Jitsu, modalidade que a levou ao MMA. Agora, aos 31 anos, ela fará a sua estreia no maior evento de artes marciais do mundo. Neste sábado, dia 2 de fevereiro, a goianiense debuta no UFC, que será realizado em Fortaleza, contra a compatriota Livinha Souza, ex-campeã do Invicta FC.

“Estou bem confiante para essa estreia. Com certeza será uma luta dura e digna do show que acontecerá no UFC Fortaleza. A Livinha é uma atleta muito dura, é faixa preta de Jiu-Jitsu e tem uma trocação alinhada. Além disso, ela é ex-campeã do Invicta FC, que é o maior evento de MMA feminino do mundo. Estou bem feliz com a oportunidade de enfrentar alguém do cacife dela já na estreia. Gosto de grandes desafios, pois eles me motivam a ir cada vez mais longe”, declarou Sarah.

Sarah, que conquistou o contrato após vencer no Dana White’s Contender Series, está invicta no MMA. Até agora foram nove lutas e nove vitórias, sendo cinco delas por finalização e duas por nocaute. A atleta da Astra Fight Team minimiza o fato de estar invicta e foca apenas em fazer uma boa apresentação no octógono.

“Não me prendo tanto a essa lance de ser invicta. No começo isso pegava mais na minha cabeça, mas agora penso que tudo é fruto do nosso trabalho. Se algum dia vir a acontecer uma derrota, isso faz parte da competição. Todos estão sujeitos a derrota, então tento apenas treinar o máximo possível e chegar lá na minha melhor forma. O resto só no cage pra saber”, analisou Sarah.

Sobre a ansiedade de lutar pela primeira vez em um card do UFC no Brasil, Sarah “A Treta”, como é conhecida no MMA, garante que a felicidade de estar no maior palco de artes marciais do mundo é maior que a sua apreensão pela estreia.

“Estou feliz e tranquila. Acredito que essa oportunidade foi fruto do trabalho de formiguinha que já venho fazendo há vários anos, sempre treinando e me doando ao máximo. Graças também a dedicação e apoio dos meus treinadores, empresários, da minha esposa, equipe, amigos e família consegui chegar ao maior evento de lutas mistas do mundo que é o UFC. Claro que a ansiedade existe, mas me vejo mais feliz do que ansiosa. Sonhei muito com esse momento, então agora eu só penso em lutar bem, me divertir e dar um show digno da “Treta” para a galera em Fortaleza”, concluiu.

DEIXE UMA RESPOSTA