Strategy 4: Alex Coruja finaliza no Submission e Leanardo Bauab no Jiu-Jítsu

0
452
Marcelo Roque (prefeito de Paranaguá, Alex Coruja, Juann Felipi e o organizador Fulvio H.
Foto: Strategy/Divulgação

A cidade litorânea de Paranaguá, uma das mais antigas do Brasil, fundada em 1648, mais uma vez respirou artes marciais. Em pleno mês de aniversário da cidade, Fulvio Henrique Berlim, pioneiro em eventos de MMA e agora apostando nas lutas agarradas, realizou no último sábado, dia 29 de junho, a 4ª edição do Strategy, que traz sempre duelos de Jiu-Jítsu e Submission, com tempos de 20 minutos, valendo apenas finalização e pelas regras da IBJJF (International Brazilian Jiu-Jítsu Federation).

Com o patrocínio exclusivo da Multirans – Transportes e Armazéns Gerais, apoio da rede de Supermercados Bavaresco e presença do prefeito Marcelo Roque, o Strategy 4, montado mais uma vez no Teatro Municipal Rachel Costa, contou com 10 desafios, da faixa-azul à faixa-preta. Destaque para a vitória do gigante Alex Coruja, que curiosamente veio ao evento apenas para receber a premiação, já que o seu adversário parnanguara Edson Goro comunicou uma lesão na quinta-feira anterior. Chegando no evento, Coruja conheceu o faixa-roxa pesadíssimo Juann Felipi da equipe Gile Ribeiro (Curitiba), que se ofereceu para fazer a luta sem pano, dando trabalho a Coruja nos primeiros minutos. Coruja que também tem experiência no MMA, usou toda a bagagem de faixa-preta para passar a guarda e finalizar Juann com um katagatame.

Na luta principal de faixas-preta, nas regras do Jiu-Jítsu, Eduardo Nunes da Excellence Ground (Guaratuba) defendeu o ataque no triângulo do visitante Ricardo Ferreira da Carlson Gracie (Joinville) e na sequência aproveitou para inverter e estabilizar por cima, antes de definir com um estrangulamento. Noutro confronto de faixas-preta e de quimono, o curitibano Leonardo Bauab acabou colocando água no chope do atleta da casa Luis Reis, levando a vitória para a Robson Moura Nova União (Curitiba) com uma chave de braço.

Destaque ainda para duas lutas duríssimas e com vitórias da equipe Carlson Gracie (Joinville). Na faixa-marrom Edinei Prochnow puxou o também curitibano Raphel Ronchi da Gile Ribeiro para a guarda e insistiu até pegar no triângulo. Depois foi a vez do roxa Jonathan Cunha aceitar o duelo com o marrom Paulo Oliveira da Cícero Costha (Cascavel) na regras do Submission. Após 19 minutos de pura “estratégia”, Jonathan acelerou e ajustou a guilhotina faltando 20 segundos para o fim.

A organização tratou as equipes, lutadores e público com bastante atenção e deu o devido suporte para que todos tivessem um evento de excelência. Os atletas de longe receberam hospedagem, havia vestiários com chuveiro, área de aquecimento na coxia da suntuosa estrutura do Teatro Municipal Rachel Costa e como de costume, um banquete de frutas e garrafas de água para os participantes. Fulvio deixa um convite a todos os amantes da arte suave: “Quero ver todos vocês na 5ª edição, no dia 2 de novembro”.

DEIXE UMA RESPOSTA