Tetracampeão mundial, Rodolfo Vieira treina na American Top Team para estreia no MMA

0
274
rodolfo-att
Rodolfo Vieira estreia no Real FC, em outubro (Foto: Divulgação)

 

Tetracampeão Mundial de Jiu-Jítsu e campeão do ADCC, maior torneio de grappling do mundo, Rodolfo Vieira anunciou no ano passado que trocaria o quimono pelas luvas de MMA. Para ajudar nessa transição, o faixa-preta escolheu a American Top Team, equipe liderada por Ricardo Libório e Conan Silveira, e que conta com nomes do calibre de Junior Cigano e Robbie Lawler, campeão meio-médio do UFC. Rodolfo já desembarcou na Flórida, nos Estados Unidos, para dar início ao seu camp de treinamento visando a sua estreia no MMA.

“O treino está muito bom. Bem diferente do que eu estava acostumado no Brasil. Sinto-me um faixa-branca no MMA (risos). Antes eu praticamente só treinava Jiu-Jítsu, agora estou investindo bastante no Muay Thai, Boxe e Wrestling. E, claro, sem deixar o Jiu-Jítsu de lado. Estou gostando bastante do clima da academia, dos treinos… Fui muito bem recebido por todos, principalmente pelo Steve Mocco, Katel Kubis, Marcos Parrumpinha, Conan Silveira e Ricardo Libório. Eles estão me dando toda a atenção que eu preciso para evoluir e fazer uma boa estreia no MMA. Definitivamente fiz a escolha certa em me mudar para os Estados Unidos para treinar na American Top Team (ATT)”, comentou Rodolfo Vieira.

Rodolfo fechou um contrato de cinco lutas  com o evento japonês Real Fighting Championship, com estreia programada para outubro, mas ele ainda não tem adversário definido. O faixa-preta planeja lutar pela categoria dos meio-pesados (até 93kg).

COMPARTILHAR
Artigo anteriorGeorges St. Pierre confirma retorno e desafia Michael Bisping para um “desempate”
Próximo artigoEx-treinador de lendas como Minotauro, Ruas e Rizzo, Claudio Coelho realiza Seminário de Boxe em Copacabana
Um apaixonado pelas artes marciais, inspirado pelo meu pai que assistia todas as lutas de boxe na década de 70, 80. Depois passei a acompanhar o Vale-Tudo a partir da década de 90 até a evolução para o MMA atual, em que tivemos como principal referência o sucesso do Pride no Japão e o maior evento do mundo, o UFC, um fenômeno que não para de crescer. Conheço a luta na prática. Comecei com o karatê na adolescência, mas não cheguei a me graduar. Já maior de idade, iniciei no Jiu-Jítsu em 2004 e nunca mais abandonei. Além de treinar, participo de competições. Minha maior conquista foi subir no pódio do Sul-Americano de JJ da CBJJ. Criei o site www.mmasul.com.br em 2008, com o objetivo de colaborar com o MMA nos três estados que compõem a região Sul (RS, SC e PR). Fui adiante. Além de fomentar o jornalismo marcial na região, levei o MMASUL a alcançar visibilidade e credibilidade de leitores e fãs e de colegas de imprensa de todo o Brasil. Após mais de sete anos de sucesso, resolvemos inovar e lançar um nome nacional, o maismma.com, a continuação do MMASUL. Estamos no ar, em busca da evolução diária, das melhores coberturas e das melhores notícias. Sempre ágeis e precisos nas informações do mundo do MMA. Agora, somos #MAISMMA. Fazer o que a gente ama não tem preço. É com enorme prazer que faço as coberturas de eventos, escrevo, entrevisto e fotografo. Agora, rumo às cerca de 20 coberturas de UFC, além de inúmeras participações como convidado de programas no canal Combate. Um abraço especial a você que parou alguns segundos para saber mais sobre mim e sobre o maior site especializado em MMA do Sul do país. Não esqueça de aproveitar para visitar o maismma.com e seguir-nos no Twitter: @MMASUL. Muito obrigado, FAMÍLIA! "O jornalismo é uma paixão insaciável que só se pode digerir e humanizar mediante a confrontação descarnada com a realidade. Quem não viveu a palpitação sobrenatural da notícia, o orgasmo do furo, a demolição moral do fracasso, não pode sequer conceber o que são. Ninguém que não tenha nascido para isso e esteja disposto a viver só para isso poderia persistir numa profissão tão incompreensível e voraz, cuja obra termina depois de cada notícia, como se fora para sempre, mas que não concede um instante de paz enquanto não torna a começar com mais ardor do que nunca no minuto seguinte." Parte do texto: "A melhor profissão do mundo" Por Gabriel García Márquez (Jornalista, editor e escritor colombiano, prêmio Nobel de Literatura em 1982, autor do aclamado "Cem anos de Solidão")

DEIXE UMA RESPOSTA