Vídeo: Blade faz “lutão” e vence de virada no Fight Nights; Falcão é atropelado

0
444

Jorge “Blade” Oliveira estreou em território russo neste sábado, no Fight Nights (63), e diante de uma pedreira, Gennadiy Kovalev. Depois da passagem pelo UFC e da vitória contundente sobre Thiago Bel em evento brasileiro, o carioca especialista em Luta Livre Esportiva mostrou que tem coração e muita eficiência no seu jogo de solo.

O russo começou dominando o centro do octógono, tentando encurralar Blade. Na metade do primeiro round, Kovalev encurtou a distância, recebeu um cruzado e respondeu na mesma moeda. O brasileiro sentiu o golpe, desabou, conseguiu se recuperar e continuou trocando “chumbo”. Blade ainda sofreria mais pressão no ground and pound no fim da primeira parcial.

Kovalev voltou ainda mais ativo para o segundo, aplicou uma ótima combinação de socos, seguida de um chute alto e novamente colocou o carioca de costas no chão. Com um sangramento no nariz e sob castigo, Blade tentava golpear mesmo por baixo.

A luta voltou de pé novamente e Kovalev voltou a derrubar o rival. Blade tentou subir e expôs o pescoço para uma guilhotina. Ele defendeu a posição e passou a desferir golpes duros dentro da guarda do dono da casa. Blade mergulhou, caiu de “meia” e trabalhou as cotoveladas para pontuar.

Em uma luta emocionante, Blade tentou pegar as costas quando o russo virou de quatro apoios para sair do sufoco, mas acabou caindo por baixo e sofrendo mais uma “blitz”. Blade voltou mais inteiro e mais agressivo para o terceiro. Kovalev tentou se impor, mas Blade estava mais ativo. O russo resolveu buscar a queda.

Blade defendeu a primeira tentativa e quando defendia a segunda, surpreendeu Kovalev com um guilhotina. Ele tentou resistir, caiu na posição norte-sul, mas o atleta da Renovação Fight Team (RFT) inverteu a pegada e finalizou o russo com um estrangulamento mão com mão.

Em uma revanche, o russo Vladimir Mineev devolveu ao gaúcho Maiquel Falcão a derrota sofrida por decisão majoritária na 56ª edição, com um nocaute avassalador. O árbitro central permitiu que a luta seguisse por um longo tempo depois que o brasileiro acusou os golpes e deixou de se defender.

DEIXE UMA RESPOSTA