Werdum e Bate-Estaca ficam sem adversários no UFC 207; Confira a nova ordem das lutas

0
90
amandaxronda
Leoa defende título contra ex-campeã – Foto: Divulgação

 

O último UFC do ano, a edição 207, que acontece nesta sexta-feira (30), em Las Vegas, sofreu duras baixas de última hora. Duas lutas do card principal envolvendo brasileiros caíram.

Primeiro, Jéssica Bate-Estaca ficou sem adversária – com a lesão Maryna Moroz – e Angela Hill não pode substituí-la porque a USADA (Agência Antidoping dos EUA) exigiu que a atleta seja testada nos próximos quatro meses, antes de voltar ao UFC.

Depois, Fabricio Werdum foi quem ficou sem oponente, devido a lesão de Cain Velasquez – dores nas costas, nervo ciático e na perna esquerda.

Com o cancelamento de Werdum x Velasquez e Jéssica x Moroz, duas preliminares foram promovidas. Agora, o card principal abre com um duelo de pesos-moscas entre Ray Borg e Louis Smolka, e na sequência um confronto de meio-médios entre Dong Hyun Kim e Tarec Saffiedine.

Na antepenúltima luta, o brasileiro John Lineker encara o ex-campeão peso-galo T.J. Dillashaw. Domininick Cruz defende o título dos galos no coevento principal contra Cody Garbrandt e as mulheres fecham a noite com outra disputa de título.

Amanda Nunes defende o cinturão dos pesos-galos feminino em um aguardado combate com a ex-campeã Ronda Rousey, de volta após um ano longe do octógono.

Confira o card atualizado e a ordem das lutas desta sexta-feira, 30 de dezembro no T-Mobile Arena em Las Vegas, Nevada:

Caed principal

Amanda Nunes vs Ronda Rousey
Dominick Cruz vs Cody Garbrandt
T.J. Dillashaw vs John Lineker
Dong Hyun Kim vs Tarec Saffiedine
Ray Borg contra Louis Smolka

Card Preliminar

Johny Hendricks vs. Neil Magny
Alex Garcia vs Mike Pyle
Antonio Carlos Junior vs. Marvin Vettori
Niko Preço vs. Brandon Thatch
Tim Means vs. Alex Oliveira

COMPARTILHAR
Artigo anteriorVelasquez deixa o card do UFC 207 e Werdum fica sem adversário
Próximo artigoCrocop atropela King Mo e avança em GP do Rizin FF; Alison Vicente e Puro Osso perdem
Um apaixonado pelas artes marciais, inspirado pelo meu pai que assistia todas as lutas de boxe na década de 70, 80. Depois passei a acompanhar o Vale-Tudo a partir da década de 90 até a evolução para o MMA atual, em que tivemos como principal referência o sucesso do Pride no Japão e o maior evento do mundo, o UFC, um fenômeno que não para de crescer. Conheço a luta na prática. Comecei com o karatê na adolescência, mas não cheguei a me graduar. Já maior de idade, iniciei no Jiu-Jítsu em 2004 e nunca mais abandonei. Além de treinar, participo de competições. Minha maior conquista foi subir no pódio do Sul-Americano de JJ da CBJJ. Criei o site www.mmasul.com.br em 2008, com o objetivo de colaborar com o MMA nos três estados que compõem a região Sul (RS, SC e PR). Fui adiante. Além de fomentar o jornalismo marcial na região, levei o MMASUL a alcançar visibilidade e credibilidade de leitores e fãs e de colegas de imprensa de todo o Brasil. Após mais de sete anos de sucesso, resolvemos inovar e lançar um nome nacional, o maismma.com, a continuação do MMASUL. Estamos no ar, em busca da evolução diária, das melhores coberturas e das melhores notícias. Sempre ágeis e precisos nas informações do mundo do MMA. Agora, somos #MAISMMA. Fazer o que a gente ama não tem preço. É com enorme prazer que faço as coberturas de eventos, escrevo, entrevisto e fotografo. Agora, rumo às cerca de 20 coberturas de UFC, além de inúmeras participações como convidado de programas no canal Combate. Um abraço especial a você que parou alguns segundos para saber mais sobre mim e sobre o maior site especializado em MMA do Sul do país. Não esqueça de aproveitar para visitar o maismma.com e seguir-nos no Twitter: @MMASUL. Muito obrigado, FAMÍLIA! "O jornalismo é uma paixão insaciável que só se pode digerir e humanizar mediante a confrontação descarnada com a realidade. Quem não viveu a palpitação sobrenatural da notícia, o orgasmo do furo, a demolição moral do fracasso, não pode sequer conceber o que são. Ninguém que não tenha nascido para isso e esteja disposto a viver só para isso poderia persistir numa profissão tão incompreensível e voraz, cuja obra termina depois de cada notícia, como se fora para sempre, mas que não concede um instante de paz enquanto não torna a começar com mais ardor do que nunca no minuto seguinte." Parte do texto: "A melhor profissão do mundo" Por Gabriel García Márquez (Jornalista, editor e escritor colombiano, prêmio Nobel de Literatura em 1982, autor do aclamado "Cem anos de Solidão")

DEIXE UMA RESPOSTA