Imortal FC 4: Jorge Blade quebra longa invencibilidade de Thiago Bel; Assista

0
72

Em um duelo eletrizante, o carioca Jorge Blade estragou a festa do dono da casa Thiago Bel, na luta principal do Imortal FC 4, realizado no último sábado (21), em São José do Pinhais, região metropolitana de Curitiba. Bel começou pressionando em pé, aplicando quedas e encerrando o primeiro round castigando o adversário com socos na montada.

Apesar de contra-atacar com golpes duríssimos, Blade passou sufoco novamente no início do segundo round. Bel derrubou o ex-UFC e montou mais um vez. Blade se livrou do ground and pound e com a luta de pé conectou um cruzado que levou Bel a knockdown. Blade aproveitou para desferir socos sem parar, abrindo caminho para um estrangulamento mão com mão.

Com a vitória, Blade se recupera das duas derrotas em sua passagem pelo UFC e consegue quebrar uma invencibilidade de 12 lutas do curitibano, que não sabia o que era perder há cinco anos.

Destaque para a superluta feminina entre a curitibana Ariane Lipski e a catarinense Juliana Werner. Após um primeiro round movimentado, ambas partiram para cima em busca do nocaute. A mão de Lipski entrou primeiro, em cheio, mandando Werner para a lona no fim do segundo assalto.

Resultados:

Jorge Blade finalizou Thiago Bel com um estrangulamento (mão com mão), R2 3:55;
Ariane Lipski nocauteou Juliana Werner com um cruzado de esquerda, R2 4:26;
Bruno Blindado derrotou Thiago Varejão por decisão unânime;
Irwing Machado e Felipe Cruz empataram;
Luciano Contini finalizou Marcos Pirata com um mata-leão, R1 4:34;
Diego Marlon finalizou Enéas Gringo com um armlock, R1 2:53;
Jardel Evangelista finalizou João Alicate com uma guilhotina, R2 2:02;
Johnny Walker venceu Fabão Vasconcelos por nocaute técnico (socos), R1 4:05.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorCappelozza, Polyana Vianna e Borrachinha conquistam títulos no Jungle FC 87
Próximo artigoBrasileiros sofrem “goleada” na Rússia; Soldado perde após dez anos
Um apaixonado pelas artes marciais, inspirado pelo meu pai que assistia todas as lutas de boxe na década de 70, 80. Depois passei a acompanhar o Vale-Tudo a partir da década de 90 até a evolução para o MMA atual, em que tivemos como principal referência o sucesso do Pride no Japão e o maior evento do mundo, o UFC, um fenômeno que não para de crescer. Conheço a luta na prática. Comecei com o karatê na adolescência, mas não cheguei a me graduar. Já maior de idade, iniciei no Jiu-Jítsu em 2004 e nunca mais abandonei. Além de treinar, participo de competições. Minha maior conquista foi subir no pódio do Sul-Americano de JJ da CBJJ. Criei o site www.mmasul.com.br em 2008, com o objetivo de colaborar com o MMA nos três estados que compõem a região Sul (RS, SC e PR). Fui adiante. Além de fomentar o jornalismo marcial na região, levei o MMASUL a alcançar visibilidade e credibilidade de leitores e fãs e de colegas de imprensa de todo o Brasil. Após mais de sete anos de sucesso, resolvemos inovar e lançar um nome nacional, o maismma.com, a continuação do MMASUL. Estamos no ar, em busca da evolução diária, das melhores coberturas e das melhores notícias. Sempre ágeis e precisos nas informações do mundo do MMA. Agora, somos #MAISMMA. Fazer o que a gente ama não tem preço. É com enorme prazer que faço as coberturas de eventos, escrevo, entrevisto e fotografo. Agora, rumo às cerca de 20 coberturas de UFC, além de inúmeras participações como convidado de programas no canal Combate. Um abraço especial a você que parou alguns segundos para saber mais sobre mim e sobre o maior site especializado em MMA do Sul do país. Não esqueça de aproveitar para visitar o maismma.com e seguir-nos no Twitter: @MMASUL. Muito obrigado, FAMÍLIA! "O jornalismo é uma paixão insaciável que só se pode digerir e humanizar mediante a confrontação descarnada com a realidade. Quem não viveu a palpitação sobrenatural da notícia, o orgasmo do furo, a demolição moral do fracasso, não pode sequer conceber o que são. Ninguém que não tenha nascido para isso e esteja disposto a viver só para isso poderia persistir numa profissão tão incompreensível e voraz, cuja obra termina depois de cada notícia, como se fora para sempre, mas que não concede um instante de paz enquanto não torna a começar com mais ardor do que nunca no minuto seguinte." Parte do texto: "A melhor profissão do mundo" Por Gabriel García Márquez (Jornalista, editor e escritor colombiano, prêmio Nobel de Literatura em 1982, autor do aclamado "Cem anos de Solidão")

DEIXE UMA RESPOSTA