Após nocautear a pancreatite, Arthur Viera quer recomeço em estreia pela CM System

0
1647

17522944_1128815297246539_9077886905268449263_n

Natural de Formiga, no interior de Minas Gerais, Arthur Vieira busca um lugar ao sol no Mixed Martial Arts. A sua estreia profissional aconteceu em 2011, quando tinha 20 anos de idade, já faturando o cinturão do Jaula Fight, evento regional. No ano seguinte, Arthur foi pego de surpresa e acabou “nocauteado” pela pancreatite. As infecções que tomaram conta do pâncreas e geraram dores indescritíveis nos dois lados do estômago ocorreram por causa de um suplemento. Foram 40 dias internado. Três dias na UTI em coma induzido. Uma série de cirurgias. Ele não recuou, atropelou a doença e voltou ao octógono para conquistar mais um cinturão no interior do estado, dessa vez no evento Tatame do Bem.

Em busca de novos ares e de evolução como atleta, Arthur resolveu correr atrás do sonho de treinar com um ídolo do esporte, Cristiano Marcello, a quem ele acompanhava a carreira desde a época do Pride. Agora, radicado em Curitiba e treinando na equipe CM System de Cristiano Marcello, o peso-pena é só elogios ao time.

– O Cristiano é como um paizão para a rapaziada. Está junto na vitória e na derrota. Somos uma família que ajuda um ao outro. Além do Cristiano com toda a sua experiência de UFC, TUF e Pride, conto com os ensinamentos de Marcelo Zulu, um dos melhores professores de Wrestling do mundo e com Felipe Silva no Muay Thai, esse dispensa comentários, um fenômeno que tem tudo pra ser campeão do UFC – destaca Arthur.

Com luta marcada no próximo domingo no Adverture Fighters Tournament – edição Gold, em Curitiba, Arthur conta as horas para, enfim, estrear pela CM System. Vale lembrar que no segundo semestre de 2017, o mineiro notou dois caroços na testa e ao procurar um médico descobriu que eram cistos. Novamente lá foi ele para o hospital passar por micro-cirurgia, em um caso menos grave que a pancreatite, claro, tratava-se de cistos benignos, pequenos, mas mesmo assim o tratamento atrasou a carreira. Arthur precisou cancelar compromissos. Para completar, depois de recuperado, veio mais lesões. Mas, agora, Arthur se vê na melhor fase, confiante e quer brindar os companheiros de equipe e treinadores com uma ótima apresentação no AFT.

– Estou muito bem preparado. Estou gostando muito dos treinos na CM. A minha adaptação ao Westling está sendo ótima, no começo dei uns tropeço, mas agora estou gostando cada vez mais. E comigo não tem muito de estratégia. Estou pronto para trocar em pé ou fazer chão. Vou entrar pra nocautear ou finalizar. Não tem segredo. Espero que o meu adversário esteja pronto porque eu vou entrar lá para fazer uma guerra como sempre – revela Arthur, que a todo custo quer engrenar novamente com uma sequência de vitórias.

DEIXE UMA RESPOSTA